Google+ Followers

Google+ Followers

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Quiron, o curador ferido, na mitologia grega

Quiron, o curador ferido na Mitologia Grega
Era uma vez o Deus Cromos que em grego significa tempo ,Quiron era um titã poderoso e típico Don Juan casado com uma mulher temida pela fúria com que aniquilava as amantes do seu marido.
Cronos andava atrás da bela ninfa Fìliria, que fugia dele por saber de sua fama e da sua esposa que matava as suas amantes, que sendo uma ninfa do mar desconhecia as profundezas da natureza humana e não percebeu que quanto mais rejeitava o insaciável Cronos mais enlouquecido de desejo ele ficava.

Até que um dia se cansou da paixão não correspondida e decidiu dominá-la á força. Transformou-se num cavalo e á Fisia, metamorfoseou-a numa égua, e saiu a galope nela montando-a.

Deste cruzamento nasceu o centauro Quiron, metade homem, metade cavalo, horrorisada com a aparência do filho Fìliria o rejeitou e o abandonou .

Apolo o Deus da beleza encontrou Quiron e o adotou. Com o passar do tempo o centauro se tornou um grande sábio , mestre na arte da cura, da guerra e da música, astrônomo, alquimista e conhecedor de ervas curativas. Quiron do grego xeipov significa mão.

Era tanta a sua sabedoria que Deuses e reis entregavam em suas mãos a educação dos seus filhos, entre eles Aselépio, considerado o pai da Medicina

Porém Quiron o grande curador carregava na alma uma ferida profunda, a vergonha da sua metade cavalo que motivou a sua mãe a abandoná-lo.

Um dia numa batalha seu disciplo Hércules, sem querer atirou uma flecha cuja ponta envenenada atingio em cheio a pata do mestre, abrindo ali uma ferida incurável que diziam exalar um fedor insuportável.

O grande curador arrastava agora uma profunda e incurável ferida

Tal como na mitologia de Quiron todos temos um lado humano e um lado animal e Quiron na Astrologia simboliza o ponto do nosso mapa onde com o tempo vamos ter que aceitar curar as nossas feridas, sejam de relacionamentos, de iniciativas de trabalho ou de realizações.

Sem comentários:

Enviar um comentário