Google+ Followers

Google+ Followers

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Constelação de Virgem, Spica ou espiga de ouro, as honras e riquezas, Mitologia e tabeladas estrelas associadas á constelação

                                                                                 
Virgem é a constelação mais lendas e histórias míticas. Ela foi uma das primeiras a receber uma denominação, e sempre foi representada pela imagem de uma Mulher. Uma das pessoas mitológicas mais associadas a ela é a de Têmis, divindade da Justiça. Insatisfeita com o procedimento da Humanidade, ela retorna aos céus.

Outras histórias dão conta de que a Virgem está ligada a Astréia, fruto da união entre Zeus e Têmis, como está imortalizado nos versos de Os Lusíadas, de Luís de  Camões. Ela teria existido em sua roupagem carnal ao longo da Idade de Ouro; mas, com o declínio da existência humana, a deusa teria se exilado na esfera celestial e se convertido, assim, na constelação de Virgem. Seu símbolo seria a Balança, daí ela estar localizada próxima à Constelação de Libra.


Esta constelação está também intimamente ligada ao mito de Ceres – para os romanos, Deméter -, deusa responsável pelo desenvolvimento das atividades agrárias, sempre com espigas de trigo em sua mão, e sua filha Perséfone, raptada pela divindade das sombras, Hades ou Plutão, que é tomado pela paixão.


Mergulhada em profundo desespero, Ceres segue em busca da filha, deixando de lado suas obrigações com a terra. Assim relegada, a Natureza murchou, perdeu sua vitakidade. Zeus, para socorrer a Humanidade, dispôs a situação de forma que Perséfone, que comera algumas sementes de romã no reino das Trevas e, assim, não podia mais voltar completamente para o mundo dos vivos, deveria permanecer 3 meses anualmente no mundo inferior, e no resto do ano ficaria ao lado da mãe.

Esta alegoria confere às mudanças de estação um fundo mítico. Nos momentos passados sob a terra, as sementes estão germinando, para florescerem na Primavera, quando a deusa retorna à convivência materna.Assim, a Virgem primaveril passa a ser cultuada sob várias denominações, dando origem às mais diversas lendas.

Outras interpretações ligam a romana Fortuna a esta constelação, uma referência às estrelas menos intensas que configuram a cabeça da imagem virginal. A virgem é também a moabita Ruth, das Sagradas Escrituras, correndo pelos campos de Boaz. Já no contexto do Cristianismo ela é associada à Virgem Maria, mãe de Jesus.

                        As estrelas da constelação de Virgem são:

Zavijaba, da cabeça da virgem é uma estrela de magnitude 4, da natureza de mercúrio Marte e encontra-se entre os graus 27.10 e 27,52 de Virgem.
Zaniah, da asa de Virgem é uma estrela de magnitude 4, da natureza de mercúrio, venus  e encontra-se actualmente entre os graus 04.31 e 05.13 de Balança.
Vindemeatrix, da asa de Virgem é uma estrela de magnitude 3, da natureza de Saturno, mercurio e encontra-se actualmente entre os graus 09.57 e 10.38 de Balança.
Spica, a espiga de Virgem é uma estrela de magnitude 1 da natureza de venus Marte e encontra-se actualmente entre os graus 23.51 e 24.32 de balança.
Arcturus, o joelho do caçador é uma estrela de magnitude 1 da natureza de Júpiter, Marte e encontra-se actualmente entre os graus 24.15 e 24.56 de balança.
Khambalia,o Pé esquerdo de virgem é uma estrela de magnitude 4 da natureza de venus Marte e encontra-se actualmente no o grau 06.57 de virgem.

Arcturus possui o mesmo nome do antigo grego Arktouros, que significa “guardião  porque é a estrela mais brilhante próxima às Ursas Maior e Menor.
 Na astrologia, Arcturus é considerada a estrela regente  do signo de Libra. e pertence á constelação do Boleiro, que fica entre a constelação de Virgem e Balança.
 Na mitologia romana, conforme relatado por Higino, Arcturus é o ateniense Icário. Ele morava com sua filha virgem Erígone e seu cão Maera. Ele hospedou Liber Pater, que o ensinou o segredo do vinho. Icário deu o vinho a uns pastores que, acreditando que Icário os tinha envenenado, o mataram a pauladas. Seu cão Maera, latindo sobre o corpo morto do dono, chamou Erígone, que se enforcou. Liber Paterentão afligiu as mulheres atenienses com uma praga, que só terminou quando eles puniram os pastores e instituiram um festival em honra dos dois. Os deuses então transformaram ambos em estrelas: Erígone virou a constelação de Virgem e Icário a estrela Arcturus.
 A estrela Spica ou (Espiga em Português) é a mais brilhante da constelação de Virgem. Por isso é designada por α. É uma estrela binária azul que se encontra a 260 anos-luz, sendo uma das mais brilhantes do céu  a décima quinta. Na verdade, a olho nu, não conseguimos ver que, afinal, a α… são duas! Elas giram em volta uma da outra, a curta distância. Só um telescópio pode distinguir que são duas. A maior é dez vezes maior que o Sol, mas umas doze mil vezes mais brilhante!.. Também é seis vezes mais brilhante que a companheira.
A maior, sendo uma estrela de tão grande massa, é candidata a tornar-se numa super-nova, a mais próxima do Sistema Solar. Por isso é muito estudada.
Pensa-se que Hiparco tenha descoberto o fenómeno da precessão dos equinócios, baseando-se em dados que foi colhendo pela observação das posições de Spica, uma vez que ela se encontra muito perto da elíptica. Um templo, em Tebe, foi construído e orientado em relação à estrela, em 3200 a. C., e aí foi sendo registada a precessão, até mesmo por Copérnico.
Spica é por isso muito importante na análise de um mapa Astrológico, pela associação que tem com o signo de Virgem e de balança e por actualmente se encontrar entre o grau 23 e 24 de  Balança, e a análise correspondente  por casa astrológica e os aspectos que fazem com os outros planetas. 
Spica ou espiga de ouro é uma das constelações mais citadas na astrologia, passaram a chamar-se de estrelas fixas todas as estrelas que se movem lentamente, cerca de 1 grau a cada 72 anos.

A spica é atribuida tradicionalmente a honra e riquezas 
Arturos é igualmente muito importante porque se encontra  quase nos mesmos graus, onde spica por ser a estrela mais brilhante "apaga" um pouco o brilho de Arturus no céu onde só é perceptivel visualizar que são duas estrelas com um telescópio muito potente.

Fonte Wilkipédia 




Sem comentários:

Enviar um comentário